Publicidade

18 de Dezembro de 2013 - 12:34

Por Gabriela Lara - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN) caiu de 70,1 pontos no quarto trimestre deste ano para 69,9 pontos no primeiro trimestre de 2014, de acordo com pesquisa do Insper realizada em parceria com o Banco Santander. O indicador, que antecipa a expectativa para o início do ano, mostra que os empresários estão menos otimistas, "principalmente devido ao cenário macroeconômico de incertezas e desaceleração", afirma José Luiz Rossi Junior, professor e pesquisador do Insper.

A queda de confiança foi observada em quatro das seis áreas investigadas, com destaque para a percepção sobre faturamento, que passou de 77,8 para 74,6 pontos, e lucro, que foi de 76,2 para 73,8 pontos. Os outros itens com decréscimo foram ramo de atividade (de 75 para 72,9 pontos) e economia (de 65 para 64,5 pontos). Já as duas áreas que tiveram melhora na confiança foram investimentos (de 65,6 para 67,8 pontos) e novos empregados (de 60,7 para 61,6 pontos), o que sinaliza possibilidade de contratação por parte das pequenas e médias empresas.

Os números refletem as perspectivas dos empresários de varejo e serviços para os três primeiros meses do ano. "Esses setores estão observando uma demanda mais fraca e custos elevados, por causa da inflação e também pela necessidade que eles têm de investir e se preparar para a Copa do Mundo", explica Rossi. O IC-PMN do comércio recuou de 69,9 pontos para 68,8 pontos, enquanto o de serviços caiu de 71,2 pontos para 70 pontos. "Os empresários sabem que terão um primeiro trimestre difícil, mas esperam que no que resta de ano os investimentos feitos surtam efeito, graças à expectativa com a Copa", diz.

Na análise setorial, a surpresa positiva ficou com a indústria, que apresentou avanço do IC-PMN, de 69,1 pontos no último trimestre de 2013 para 69,6 no primeiro trimestre de 2014. "A indústria tem um comportamento sazonal que explica essa melhora da expectativa porque tradicionalmente o setor trabalha mais no primeiro trimestre para repor os estoques. Além disso, a indústria pode estar sentindo algum efeito do câmbio, que ajuda os empresários exportadores", resumo Rossi.

Segundo o levantamento do Insper, os empreendedores do Nordeste são os que estão mais confiantes para os primeiros meses de 2014, com 73 pontos na pesquisa. Na sequência aparecem Norte (69,7 pontos), Centro-Oeste (68,6 pontos), Sudeste (68,5) e Sul (68,4). Os dados foram coletados entre os dias 3 e 6 d dezembro por meio de entrevistas telefônicas com 1.429 empresários.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?