Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 09:43

Por Pedro Venceslau e Ricardo Chapola - Agencia Estado

Compartilhar
 

Possível candidato à Presidência em 2014 pelo PSDB, o senador mineiro Aécio Neves escolheu sua irmã, a jornalista Andrea Neves, para coordenar uma das áreas mais sensíveis da campanha: a comunicação. O plano inicial do tucano era que ela deixasse em março a presidência do Serviço Voluntário de Assistência Social, cargo ocupa desde 2003 no governo mineiro, para assumir oficialmente o posto e organizar a convenção do partido que oficializará o nome de Aécio na corrida presidencial.

Em todas eleições disputadas por Aécio desde 2003, Andrea se descompatibilizou do cargo que ocupava para integrar equipe de campanha do irmão. No governo, tinha atribuições que iam além do cargo na assistência social. Coordenou o coordenou o Núcleo Gestor de Comunicação Social. Também cuidava da imagem do irmão na mídia.

Sua saída, no entanto, foi antecipada para esta quarta-feira, 8, devido ao estado de saúde de Angela Neves, irmã mais nova da família, que sofreu em outubro uma isquemia cerebral e está em estado grave em um hospital do Rio de Janeiro.

"A entrada dela na campanha é natural pelo currículo dela na área e pela afinidade que tem com o Aécio", diz o deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB mineiro e um dos mais próximos aliados do senador. Ele explica, ainda, que Andrea terá um papel central na campanha, mas a coordenação geral será feita por um político de "envergadura nacional", provavelmente um senador ou ex-governador. Os nomes mais lembrados por "aecistas" são o senador paulista Aloysio Nunes Ferreira, que também pode ser candidato a vice-presidente, ou Cássio Cunha Lima, ex-governador da Paraíba. Pestana também é cotado para a vaga.

Ao deixar o governo, Andrea acabou também antecipando o calendário político mineiro. Quem assumiu o comando da Servas foi Célia Pinto Coelho, mulher do vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP), que assumirá o governo em junho. Com isso, o atual governador, Antonio Anastasia (PSDB), disputará o Senado, e o ex-ministro Pimenta da Veiga deverá concorrer ao governo do Estado.

Uma das primeiras tarefas de Andrea Neves na campanha será definir o nome do marqueteiro do tucano. Em dezembro, Aécio rompeu com o publicitário Renato Pereira, que produziu todas as propagandas do PSDB em 2013. O motivo do término da parceria foram as divergências de estratégia que surgiram entre os dois. Com isso, o nome mais cotado para assumir o núcleo de marketing da campanha passou a ser o do publicitário mineiro Paulo Vasconcellos, que coordenou diversas campanhas do PSDB em Minas Gerais e conta com a inteira confiança do senador mineiro.

Antes de Vasconcelos, Aécio Neves chegou a sondar o publicitário Nizan Guanaes. A ideia, no entanto, não teria avançado, segundo aliados do senador, devido ao estilo centralizador do marqueteiro, que fez as campanhas de José Serra em 2002 e Fernando Henrique Cardoso em 1998.

O formato da comunicação da campanha tucana em 2014 será inédito. Em vez de deixar um publicitário tomar as decisões solitariamente, será instituído um conselho de comunicação, que deve ser comandado por Andrea. Segundo dirigentes tucanos, o modelo verticalizado e personalizado da condução do marketing eleitoral está esgotado e não é o mais saudável. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?