Publicidade

10 de Dezembro de 2013 - 16:31

Por Vitor Marques - Agencia Estado

Compartilhar
 

O operador do guindaste envolvido no acidente do Itaquerão estava 18 dias sem folga, informou o Ministério do Trabalho nesta terça-feira, após uma vistoria no estádio do Corinthians. Os dias consecutivos de trabalho de José Walter Joaquim foram registrados no cartão de ponto do operário, segundo o Ministério do Trabalho, que agora apura se a carga excessiva sem folga fazia parte de algum acordo com a construtora Odebrecht e os funcionários para apressar a conclusão da obra.

De acordo com o Ministério do Trabalho, no entanto, não é possível relacionar a sequência de dias trabalhados com o acidente - dois operários morreram em 27 de novembro, após o guindaste ter derrubado uma peça na cobertura do estádio. A Odebrecht, que deve divulgar nota de esclarecimento sobre a revelação feita nesta terça-feira, afirma que José Walter Joaquim foi ao estádio durante esses dias, mas que não operou o guindaste sequencialmente.

Em depoimento à polícia semana passada, José Walter Joaquim negou falha humana no acidente. Ele disse que havia feito o procedimento outras 37 vezes antes da queda em 27 de novembro. Ainda não há um laudo definitivo que determine a causa do acidente no Itaquerão.

VISTORIA - A vistoria do Ministério do Trabalho servirá para atestar se os oito guindastes que estão interditados podem voltar a funcionar em breve. Havia nove guindastes na construção do estádio corintiano, contando aquele que foi danificado com o acidente.

Até agora, quatro guindastes já foram analisados pelos peritos, que deram um parecer positivo em dois deles apenas. Os outros dois necessitam de pequenos reparos, segundo os técnicos.

Até o fim da tarde desta terça-feira, o Ministério do Trabalho deverá confirmar quantos guindastes podem voltar a funcionar imediatamente no canteiro de obras do Itaquerão.

Mesmo após o acidente, o estádio do Corinthians receberá abertura da Copa do Mundo, garantiu a Fifa. Mas a conclusão do Itaquerão sofrerá um atraso. Inicialmente, seria nos primeiros dias de janeiro. Agora, deve ficar para 15 de abril, apenas dois meses antes do início do Mundial.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?