Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 20:34

Por Marcelo Gomes - Agencia Estado

Compartilhar
 

A Justiça do Rio concedeu nesta quinta-feira, 19, liberdade provisória ao manifestante Jair Seixas Rodrigues, mais conhecido como

Militante da Frente Internacionalista dos Sem Teto (Fist),

"Observa-se que, no presente momento, não mais estão sendo efetivadas manifestações na cidade do Rio de Janeiro, buscando melhorias profissionais e sociais, no regular exercício dos direitos inerentes à coletividade, exteriorizar suas insatisfações, no regular exercício da Democracia. Assim, os ilegítimos atos de vandalismo, que estavam sendo praticados, indevidamente, atrelados às manifestações legítimas praticadas no exercício das atividades inerentes à Democracia, não mais se encontram como presentes, deixando de haver o risco a ordem pública, que motivou a prisão do acusado", escreveu o juiz Marcello de Sá Baptista, da 14ª Vara Criminal do Rio, no despacho.

Como medidas substitutivas à prisão cautelar, Baptista proibiu

A audiência de instrução e julgamento (AIJ) do processo teve início na segunda-feira, 16, quando foram ouvidos dois policiais militares arrolados pela acusação. O Ministério Público (MP0 pediu o adiamento da sessão porque um terceiro PM, também arrolado como testemunha, não compareceu à sessão por estar de licença. A continuação da AIJ, quando serão ouvidos os depoimentos das testemunhas de defesa e o interrogatório do réu, foi designada para 12 de fevereiro, às 14 horas.

No protesto do Dia do Professor, 190 pessoas foram detidas e levadas a oito delegacias. Entre eles, 64 manifestantes e 20 menores foram autuados em flagrante - 27 foram enquadrados na nova lei que tipifica o crime organizado. Pela primeira vez desde o início da onda de manifestações em junho, no ato do Dia do Professor duas pessoas foram baleadas. Rafael Santana Santos, de 24 anos, foi atingido por um tiro de arma de fogo no ombro na Avenida Rio Branco, nas proximidades do Clube Militar. Já Rodrigo Azoubel, de 18 anos, teve fratura exposta nos dois antebraços ao ser baleado. Ele passou por uma cirurgia. O rapaz é filho de uma diretora de TV e de um funcionário do Ministério da Cultura (Minc). Os dois casos de lesão corporal são investigados pela 5ª Delegacia de Polícia (Lapa).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?