Publicidade

03 de Janeiro de 2014 - 19:06

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, afirmou nesta sexta-feira que o seu clube não fará nenhuma loucura para manter o principal jogador da equipe, Ronaldinho Gaúcho. O craque teve seu contrato encerrado no último dia de 2013 e só permanece na Cidade do Galo se chegar a um acordo financeiro.

"Depende muito mais do Ronaldinho querer ficar do que o Atlético querer que ele fique. O Atlético não vai jogar fora cinco, seis anos por um jogador, que eu sei o quanto vale. Eu adoro ele, ele me adora, mas é um assunto que será tratado profissionalmente. Eu quero que ele fique, mas dentro de uma perspectiva profissional que esteja ao alcance do Atlético e que satisfaça o Ronaldinho", disse Kalil, em entrevista à Rádio Itatiaia.

De acordo com o dirigente, que voltou de férias nesta sexta-feira, ficou acertado com Ronaldinho Gaúcho e Assis, irmão e empresário do jogador, que na próxima segunda-feira as partes voltariam a conversar sobre a renovação. "Mas é claro que a torcida tem que entender que temos o nosso limite, tanto da gestão quanto do juízo", reforçou Kalil.

O elenco, porém, só se reapresenta no dia 20, quando o técnico Paulo Autuori será oficialmente apresentado. Mas o treinador começa a trabalhar já na segunda-feira. "Posso dizer que 90% das nossas coisas estão já prontas para começar o ano, com um time competitivo, obviamente, vamos entrar em todas as competições competitivos e é isso que importa."

"Vamos ter um 2014 repleto de alegrias, e de tristezas, é claro, como é o futebol. Todos estamos acreditando que o Atlético passou por uma virada espetacular em 2012, se concretizou em 2013 e vamos continuar assim", prometeu Kalil, que ainda afirmou que todas as notícias sobre reforços do Atlético são mentira e que Júnior César, que também teve seu contrato encerrado, deve permanecer. "É o desejo dele e o Paulo Autuori", disse.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?