Publicidade

22 de Dezembro de 2013 - 12:48

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O ex-magnata russo do petróleo Mikhail Khodorkovsky disse neste domingo que fará o possível para conseguir a libertação de outros presos políticos na Rússia, mas que não pretende se envolver na disputa pelo poder no país. Khodorkovsky passou dez anos na prisão por acusações de evasão fiscal e desfalque. Sua prisão, em 2003, e o subsequente processo que o levou à cadeia é considerado por muitos uma retaliação de Putin por causa das ambições políticas do empresário.

Ele obteve o perdão de Putin na sexta-feira e imediatamente seguiu para Berlim, onde sua mãe passa por tratamento médico.

Em entrevista coletiva em Berlim, Khodorkovsky disse que não deve ser visto como um símbolo de que não há mais prisioneiros políticos na Rússia. "Gostaria de dedicar o tempo que me resta para pagar minhas dívidas com as pessoas, e quando digo isso quero dizer as pessoas que ainda estão na prisão", afirmou.

Antes da coletiva, ele disse que não financiaria a oposição russa nem reivindicaria sua participação majoritária na agora extinta companhia da petróleo Yukos, de acordo com a agência alemã de notícias DPA. "Não vou lutar pela minha participação na Yukos."

O ex-magnata disse também que não deve voltar ao mundo dos negócios, "já que minha situação financeira não exige que eu trabalhe para ganhar mais dinheiro".

Durante a coletiva, ele afirmou que os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, que serão realizados no resort russo de Sochi, são uma celebração do esporte e não devem ser manchados por um boicote, mas também não devem ser uma grande festa para Putin. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?