Publicidade

18 de Dezembro de 2013 - 17:22

Por Anne Warth - Agencia Estado

Compartilhar
 

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quarta-feira, 18, que a adoção das bandeiras tarifárias foi adiada de 2014 para 2015 porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) julgou que seria "apressado" usar o sistema já para o próximo ano. Segundo o ministro, alguns agentes reivindicaram a postergação ao governo. "Em razão de tudo isso, adiou-se a experiência", afirmou, durante evento de comemoração dos 10 anos do programa Luz para Todos.

O ministro disse que o governo poderá fazer novos leilões para atender a demanda das distribuidoras. Na terça-feira o leilão A-1 preencheu apenas metade do que as empresas precisavam. "Realizaremos outros leilões até resolver completamente o problema. O fato é que o que aconteceu ontem é que a energia foi vendida por um preço baixo, razoável, e que atende ao princípio da modicidade tarifária", afirmou.

Lobão disse ainda que o governo não definiu se vai ajudar as distribuidoras via repasses de recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). "Se for necessário sim, se não for necessário, não", afirmou. "Em cada momento tomaremos as decisões", acrescentou. O ministro não deu data para que a decisão seja tomada.

Lobão disse ainda que a paralisação das obras da usina de Belo Monte preocupa o governo. "Estamos recorrendo aos tribunais superiores", afirmou. Questionado sobre o nível do reservatório das hidrelétricas, Lobão respondeu que, de fato, está baixo. "O nível não está elevado, mas as chuvas sim, e temos esperanças que o nível melhore muito com as chuvas que estão chegando."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você pretende substituir o ovo de Páscoa por outros produtos em função do preço?