Publicidade

28 de Dezembro de 2013 - 10:31

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Um ativista contrário ao governo da Tailândia foi morto e outros dois foram feridos por pistoleiros não identificados em Bangcoc neste sábado, em mais um episódio da onda de violência que tomou conta do país nas últimas semanas.

Enquanto isso, manifestantes impediram hoje o registro de candidatos para a eleição de 2 de fevereiro em quatro das 76 províncias tailandesas. Nessas províncias, todas no sul, o movimento que vem tentando derrubar o governo da primeira-ministra Yingluck Shinawatra conta com apoio local.

Os últimos eventos ocorreram após um influente comandante do Exército tailandês se recusar ontem a descartar a possibilidade de um golpe de Estado no país. A Tailândia é um grande aliado dos EUA, a segunda maior economia do sudeste asiático e um popular destino de turistas.

A antiga disputa entre as facções políticas tailandesas foi reavivada no mês passado, quando Yingluck tentou aprovar uma lei de anistia para seu irmão, o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, que lhe permitiria deixar o exílio voluntário e retornar ao país sem correr o risco de ser condenado à prisão por corrupção.

Yingluck convocou eleições antecipadas numa tentativa de superar a crise política, mas oposicionistas exigem que ela renuncie e entregue o poder a um conselho eleito para a implementação de reformas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?