Publicidade

11 de Março de 2014 - 00:36

Por Mariângela Gallucci - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, disse nesta quinta-feira, 6, que vai pedir ao procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, que tome as "providências cabíveis" em relação ao fato do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato ter conseguido um título eleitoral em nome do irmão morto.

"Todos estamos surpresos no que revelado pela grande imprensa. Isso só revela que o sistema precisa ser aprimorado. Daí a identificação datiloscópica, da biometria, para ter-se certeza que aquele que apresenta o título é realmente o detentor do título", afirmou Marco Aurélio ao ser indagado sobre o fato de Pizzolato ter conseguido emitir um documento em nome do irmão, que morreu na década de 70.

O presidente do TSE afirmou que a Justiça Eleitoral está empenhada para implementação do voto biométrico em todo o território nacional. "Estamos marchando, mas não dá para marchar com atropelo, com açodamento. E precisamos também de verbas", disse. Conforme expectativa do TSE, na eleição deste ano mais de 22 milhões serão identificados pelas digitais.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a proibição de trote nas ruas de JF, como prevê projeto aprovado na Câmara?