Publicidade

04 de Dezembro de 2013 - 14:13

Por Alessandro Lucchetti - Agencia Estado

Compartilhar
 

Em visita ao Brasil para compromissos com um patrocinador, Michael Phelps admitiu nesta quarta-feira que pode mesmo voltar às competições. Maior campeão olímpico da história, ele encerrou a carreira na Olimpíada de Londres, em agosto do ano passado, mas agora, pensando na disputa dos Jogos do Rio em 2016, dá sinais de um possível retorno às piscinas.

Há cerca de 20 dias, Phelps voltou voluntariamente a fazer parte do programa antidoping dos Estados Unidos, passando a ser submetido novamente a exames, condição fundamental para um eventual retorno às competições. Além disso, ele vem fazendo alguns treinamentos na piscina, algo que tinha deixado de lado quando se aposentou no ano passado.

Durante o evento desta quarta-feira em São Paulo, que reuniu duas lendas do esporte - Phelps e Pelé -, o ex-nadador norte-americano explicou que voltou a nadar para recuperar a forma física, já que revelou ter ganhado 15 quilos desde que encerrou a carreira. E contou que o retorno ao programa antidoping serve para deixar suas opções abertas.

"Eu não sei o que vai acontecer nos próximos dias, o que dirá nos próximos quatro anos", disse Phelps, ao falar sobre seu futuro. Ele comentou ainda que tem acompanhado alguns jovens nadadores em competições nos Estados Unidos, para "orientar e dar seu apoio". E também afirmou que poderia conseguir recuperar a condição de atleta em pouco tempo.

Ao falar especificamente sobre a entrada no programa antidoping, Phelps deu sinais claros de que a chance de retorno à natação é real. "Se eu quiser voltar às competições, isso é um passo que eu tenho que dar", admitiu o astro de 28 anos, que, no entanto, garantiu ainda não ter tomado uma decisão sobre o futuro. "Não faço ideia do que eu quero fazer."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?