Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 08:13

Por Cleide Silva - Agencia Estado

Compartilhar
 

Ao mesmo tempo em que divulgam tabelas com reajustes de até 4,5% por causa da alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), recomposição de custos e inclusão de airbag e freio ABS, as montadoras anunciam promoções para desovar os quase 290 mil carros que estão nos estoques das concessionárias, todos à venda sem o repasse do IPI e muitos com descontos extras.

Para atrair o consumidor que normalmente começa o ano com várias dívidas - como IPVA, IPTU e matrícula escolar -, a estratégia de algumas marcas é adiar o prazo das primeiras parcelas ou reduzir as prestações iniciais.

A primeira prestação de um automóvel financiado nas concessionárias da Renault pode ser paga daqui a três meses. Para os modelos Gol, Fox e Voyage 1.0 vendidos pela rede Volkswagen na capital paulista, as seis primeiras parcelas de um financiamento em 36 meses terão valores fixos de R$ 99.

Nos dois casos, a entrada é de 50% do bem e carros usados podem entrar como parte do pagamento. Compradores de modelos como Fox 1.0 ganham o licenciamento e aparelho de GPS (equivalentes a cerca de R$ 1,2 mil), informa Marcos Leite, da concessionária Amazon.

A General Motors inicia nesta quinta-feira, 9, o que chama de "operação breca varejo". As lojas da marca, que permaneceram fechadas na quarta-feira, 8, reabrem com promoções para toda a linha, que será vendida a preços de dezembro (sem a alta do IPI), com descontos e condições especiais de financiamento. O Cruze, por exemplo, tem bônus de R$ 2,5 mil a R$ 3 mil.

A tabela sugerida pela GM para a linha 2014, que começa a ser faturada neste mês, traz aumentos acima do repasse do IPI, que seria de 1,1% a 2,2%. O Celta, por exemplo, teve reajuste de quase 3%, enquanto Classic e Onix ficaram 2,5% mais caros.

A Renault alterou suas tabelas em até 4,5%, caso do Fluence Dynamique, cuja versão 2014 passa a custar R$ 63,9 mil, R$ 2,76 mil a mais que a anterior.

A Honda decidiu repassar aumentos de 1% a 2% apenas para modelos com cores metálicas e perolizadas. Versões de cores sólidas não terão reajuste.

A Volkswagen não divulgou tabela, mas concessionários informam que a média de reajuste será de 1,3% a 1,5%, embora modelos como o Golf terão preços reajustados em 3,5%.

A Fiat deve divulgar sua tabela hoje e terá surpresas como o reposicionamento do Palio Fire e do Uno, que ficarão mais baratos para cobrir a lacuna deixada pelo fim da produção do Mille, o carro mais barato da marca.

A versão de entrada do Palio vai custar R$ 23.990, apesar de ter recebido mudanças como novos painel e grade externa. O Uno mais barato sairá por R$ 24.990, ante R$ 26.960 na tabela do ano passado.

O Mille deixou de ser fabricado em dezembro, mas ainda estará à venda até o fim dos estoques. Ele pode ser encontrado por cerca de R$ 21,5 mil. O Gol G4, da Volkswagen, que também saiu de linha por não comportar airbag e freio ABS é vendido por cerca de R$ 25,2 mil.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) projeta para este ano crescimento de 1,1% nas vendas internas.

Em 2013, foram vendidos 3,767 milhões de veículos, 0,9% a menos que no ano anterior. "O mercado este ano vai ser amarrado", prevê o concessionário Rubens Carvalho, dono de revendas Fiat, Volkswagen e Nissan. "Só vai melhorar se houver mais facilidade de crédito." As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?