Publicidade

19 de Janeiro de 2014 - 20:34

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Morador do Morro do Cantagalo, Petrick Costa dos Santos, de 21 anos, morreu no sábado, 18, após ser baleado durante incursão de policias da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da favela na noite de sexta, 17. O Cantagalo/Pavão-Pavãozinho fica entre os bairros de Ipanema e Copacabana, na zona sul do Rio.

Santos é acusado de tráfico e, segundo a PM, teria reagido a uma abordagem apontando uma pistola para os policiais. Moradores negam, afirmando que não houve troca de tiros e que ele foi baleado pelas costas.

No sábado, comerciantes de um trecho de Ipanema baixaram as portas de seus estabelecimentos. No domingo, homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM, que tem como símbolo uma caveira com uma faca enfiada no crânio, faziam o policiamento nas imediações do morro, no bairro de Ipanema.

Na noite de sexta, logo após o assassinato do morador, houve protesto. Moradores do Cantagalo tentaram fechar uma rua de Ipanema, mas foram impedidos por PMs, que lançaram bombas de gás e de efeito moral contra manifestantes.

Santos morreu na manhã de sábado no Hospital Municipal Miguel Couto, após ter sido submetido a uma cirurgia. Segundo a PM, as armas dos policiais da UPP envolvidos na operação da noite de sexta foram apreendidas para exame de confronto balístico. A PM afirma que foi apreendida com a vítima uma pistola israelense de uso restrito. Apesar da "pacificação" anunciada pelo governo do Estado, têm ocorrido vários tiroteios na favela nos últimos meses, segundo relatos de moradores. Uma área do morro teria sido retomada por traficantes.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?