Publicidade

18 de Janeiro de 2014 - 09:34

Por José Maria Tomazela - Agencia Estado

Compartilhar
 

Subiu para 20 o número confirmado de mortos em decorrência do temporal que atingiu o município de Itaoca, no sudoeste paulista, na segunda-feira. Os corpos de Arlindo de Jesus da Silva, de 39 anos, Samuel dos Santos Cardoso, de 15, e Suelen dos Santos Pontes, de 9, foram localizados e sepultados ontem. O número inclui o agricultor Dimas de Oliveira Mota, de 45, que estava internado desde a manhã da tragédia e morreu na Santa Casa de Itapeva.

Outras três pessoas continuam internadas, mas duas estão fora de perigo. Há ainda seis pessoas desaparecidas e as buscas continuam a ser feitas por 15 homens do Corpo de Bombeiros com cães farejadores. No fim da tarde de ontem, mais um corpo foi encontrado em um local conhecido como Prainha, em Itaoca, mas até as 18 horas a vítima não havia sido identificada. "Calamidade.

O estado de calamidade pública decretado pelo município foi homologado pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), e reconhecido pela União. Dessa forma, a prefeitura enfrentará menos burocracia para contratar obras de emergência e se refazer dos estragos.

Pode chegar a R$ 13 milhões, valor equivalente a todo o orçamento do município previsto para 2014, o prejuízo deixado pela tromba d?água que atingiu Itaoca. De acordo com o prefeito Rafael Rodrigues de Camargo (PSD), a estimativa inicial dos prejuízos, feita nesta semana, leva em consideração os danos já levantados na rede urbana, em propriedades particulares e na zona rural, incluindo as seis pontes que foram levadas pelas águas.

O trabalho de limpeza prossegue na cidade e a rua principal foi liberada para o trânsito. Pelo menos 83 famílias continuam sem poder voltar para casa, pois os imóveis foram destruídos ou sofreram avarias. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?