Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 13:22

Por Gabriela Lara - Agencia Estado

Compartilhar
 

O faturamento das micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas registrou leve alta, de 0,4%, em outubro ante outubro de 2012, de acordo com a pesquisa mensal divulgada nesta quinta-feira, 19, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP). O resultado modesto foi atribuído ao tímido crescimento da economia brasileira e à forte base de comparação.

O levantamento também indicou um aumento de 9,8% no faturamento em relação a setembro deste ano. Em outubro, a receita total das MPEs paulistas ficou em R$ 50,2 bilhões, R$ 4,5 bilhões acima do resultado do mês anterior. De acordo com o Sebrae-SP, as vendas do Dia das Crianças e os dois dias úteis a mais contribuíram para o bom desempenho de outubro sobre setembro.

Entre os setores analisados em outubro, em relação a igual mês do ano passado, o saldo foi negativo na indústria (-6,3%) e nos serviços (-3,8%). Em contrapartida, o comércio apresentou alta de 5,9% na mesma base comparativa. Em nota, o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, disse que, tendo em vista os resultados até outubro, a projeção é de que as micro e pequenas empresas paulistas encerrem o ano com aumento real de 2% no faturamento.

Por regiões, o Grande ABC apresentou elevação de 4,2% no faturamento em outubro com relação a outubro de 2012. Já o município de São Paulo registrou queda de 2,1%, enquanto o interior do Estado teve evolução positiva de 1,4% e a Região Metropolitana de São Paulo registrou baixa de 0,6% na mesma base de comparação.

A pesquisa do Sebrae-SP em novembro também detectou que os micro e pequenos epresários esperam estabilidade no faturamento da empresa nos próximos seis meses. A expectativa dos empresários no que se refere à economia também é de manutenção do atual nível de atividade nos seis meses que estão por vir. No entanto, os que esperam melhora na economia estão em menor número agora. Em novembro de 2012, 31% dos donos de MPEs estavam confiantes em um cenário mais positivo e no mesmo mês deste ano a parcela caiu para 24%.

"Os salários e o crédito devem evoluir de forma mais modesta em 2014. Com isso, o consumo no mercado interno deve crescer mais lentamente, e este é justamente o principal fator que impulsiona o desempenho das micro e pequenas empresas", diz o consultor do Sebrae-SP e coordenador da pesquisa, Pedro João Gonçalves. Segundo ele, nesse contexto, as MPEs tendem a apresentar crescimento moderado em 2014. Na pesquisa, o Sebrae-SP ouviu 2.716 MPEs do Estado de São Paulo, distribuídas em indústria de transformação (10%), comércio (53%) e serviços (37%).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você participa das celebrações da Semana Santa?