Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:54

Por Zuleide de Barros, especial para o Estado - Agencia Estado

Compartilhar
 

Esta terça-feira, 25, será um dia de testes nas estradas que dão acesso ao Porto de Santos. É que há exatamente uma semana, a Baixada Santista vivia uma situação aflitiva de caos no trânsito, desencadeada pelo congestionamento de 30 quilômetros de caminhões, que travaram as estradas que dão acesso aos terminais marítimos, marcando o início do escoamento da safra de grãos pelo porto.

O problema mobilizou autoridades portuárias e políticos da região, uma vez que foi traçado um plano para que os congestionamentos registrados no ano passado não viessem a se repetir agora. Assessores da Secretaria Especial dos Portos (SEP) estiveram reunidos com a diretoria da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a fim de fazer um diagnóstico da situação e solucionar o problema que, segundo avaliaram, foi decorrente do desrespeito ao agendamento obrigatório de cargas.

Centenas de caminhões vieram para a região, sem respeitar o agendamento para acesso aos pátios reguladores. Na semana anterior, alguns terminais marítimos foram alertados para o problema, que voltou a se repetir na segunda-feira, dia 17, culminando com o travamento das estradas no dia seguinte, com congestionamentos na Via Anchieta, entrada de Santos e, especialmente na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, antiga Piaçaguera-Guarujá, que dá acesso aos terminais marítimos localizados na margem esquerda do cais.

Já na quarta-feira, dia 19, a empresa T-Grão era multada, uma vez que foi constatada a chegada de 106 caminhões sem o necessário agendamento. A partir do anúncio das multas, que variam de R$ 1 mil a R$ 2 mil por caminhão, o cenário nas proximidades do porto começou a mudar, sem as frequentes filas de carretas, que vinham atravancando o trânsito da região.

Até o final da tarde desta segunda, 24, o clima era de tranquilidade nas estradas e ao longo do cais, o que faz muita gente acreditar que as multas afastaram de vez os caminhões que insistiam em vir para a região sem o devido agendamento. Agora resta saber se na semana que antecede o carnaval, quando é grande o número de turistas com destino às praias da região, a mesma tranquilidade será observada, já que o porto atua 24 horas, independente de fim de semana ou feriado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?