Publicidade

15 de Janeiro de 2014 - 12:25

Por Fernando Faro - Agencia Estado

Compartilhar
 

O atacante Osvaldo precisará mostrar mais futebol se quiser ter oportunidades no São Paulo. Depois de uma participação discreta no primeiro jogo-treino da temporada - vitória sobre o Marília por 2 a 1 -, ele foi sacado da equipe e deu lugar ao atacante Ademilson no treino tático que aconteceu nesta quarta-feira no CT de Cotia.

Essa foi a única alteração em relação ao primeiro teste mais competitivo. Ademilson teve boa movimentação contra o Marília e conseguiu dar mais efetividade às jogadas de ataque enquanto o agora reserva não conseguiu se livrar da marcação e pouco produziu ao lado de Luis Fabiano.

Dessa forma, o São Paulo deve estrear no Campeonato Paulista contra o Bragantino, domingo, fora de casa, com a seguinte escalação: Rogério Ceni, Luis Ricardo, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Wellington, Denilson, Maicon e Ganso; Ademilson e Luis Fabiano.

Mais uma vez Wellington jogou adiantado pela direita em posição semelhante à ocupada por Douglas no ano passado enquanto Denilson em muitos momentos se alinhou aos dois zagueiros e mudou o time para um 3-5-2. A formação foi testada contra o Marília e o time não foi bem, repetindo os muitos erros de posicionamento do ano passado. Coube a Paulo Henrique Ganso tentar explicar o que o treinador quer com a nova formação.

"Não é a mesma função tática (de Douglas); o Wellington é mais marcador e tem mais facilidade de chegar na área porque tem muita força. Ele está tentando aproveitar essa força para que ele chegue mais na área e faça também seus gols", explicou o meia.

O São Paulo volta a treinar na tarde desta quarta-feira com portões fechados e na quinta volta ao CT da Barra Funda para mais um jogo-treino, desta vez contra a seleção dos Estados Unidos, que está no local fazendo uma aclimatação para a Copa do Mundo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da liberação da maconha para uso medicinal?