Publicidade

11 de Dezembro de 2013 - 18:04

Por Clarissa Thomé - Agencia Estado

Compartilhar
 

A prefeitura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, decretou estado de calamidade pública nesta quarta-feira, 11, por causa do temporal que atinge a cidade. Várias vias estão alagadas em 26 bairros e foram registrados deslizamentos em Austim. Mil pessoas ficaram desalojadas em Vila de Cava, próximo ao canteiro de obras do Arco Metropolitano, onde o Canal do Paiol transbordou. O prefeito Nelson Bornier já havia decretado situação de emergência na segunda-feira, 09. Chove forte no município desde a semana passada.

No bairro Rodilândia, bombeiros ainda tentam localizar o pedreiro Martinho da Silva, de 50 anos, que desapareceu ao ser arrastado pela correnteza no rio, às margens da Via Dutra, nesta madrugada.

A Avenida Tancredo Neves, que liga o centro da cidade ao bairro de Comendador Soares, foi tomada pela água, que chega à janela dos carros. As empresas de ônibus retiraram parte da frota de circulação, depois que veículos quebraram nas vias alagadas.

O bispo dom Luciano Bergamin determinou a todos os párocos da Diocese de Nova Iguaçu a abertura dos salões paroquiais para atender às vítimas das chuvas e receber donativos.

"Depois da capital, o município de Nova Iguaçu teve o maior índice pluviométrico registrado. A recomendação é para que as pessoas não transitem nas áreas alagadas e que permaneçam em locais seguros", afirmou o secretário de Defesa Civil do Estado, Sérgio Simões.

As prefeituras de Japeri e Queimados, que já haviam decretado situação de emergência na semana passada, voltaram a ser atingidas por temporal. Em Queimados, 23 bairros foram afetados entre a madrugada e a manhã desta quarta-feira. Houve 16 deslizamentos de terra e cinco casas desabaram parcialmente. "Interditamos até agora 11 imóveis. Esses cinco que correm o risco de terminar de cair e outros seis que estão ameaçados", afirmou João Ernandes, diretor operacional da Defesa Civil do município.

Os bairros mais atingidos são Santa Rosa, onde moradores chegaram a fechar a Via Dutra, num protesto contra o alagamento das ruas, Vila Coimbra, Eldorado e Jardim Alzira. A secretaria de Educação suspendeu as aulas na rede municipal.

Em Japeri, as chuvas afetaram 5.420 famílias. Setecentas pessoas estão desalojadas.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?