Publicidade

10 de Janeiro de 2014 - 19:45

Por Wellington Bahnemann - Agencia Estado

Compartilhar
 

A perspectiva de chuvas mais fracas na próxima semana levou o Operador Nacional de Energia Elétrica (ONS) a projetar o aumento no acionamento das termelétricas. Para o período entre 11 e 17 de janeiro, a geração térmica deverá girar em torno de 11,756 mil MW médios. O volume é 12,3% superior aos 10,464 mil MW médios apurados para o período de sete dias que se encerra nesta sexta-feira.

Segundo informou o operador na segunda revisão do Programa Mensal de Operação (PMO) de janeiro, a passagem de uma frente fria pela região Sul durante a próxima semana deve ocasionar chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Uruguai, Jacuí, Iguaçu, Paranapanema e Tietê. Nas demais bacias hidrográficas do Brasil, a previsão meteorológica é de chuvas fracas, o que explica o aumento da geração termelétrica para minimizar a redução no nível dos reservatórios.

Apesar da diminuição no volume das chuvas, a situação dos reservatórios neste início de 2014 é melhor do que em 2013. Ontem (09), os reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste operavam com nível de armazenamento de 42,4%. Na mesma data do ano passado, o volume armazenado representava 28,3% da capacidade total, ou seja, 14,1 pontos porcentuais abaixo do nível atual.

Situação parecida vive as hidrelétricas do Nordeste. Os reservatórios da região apuravam ontem 37,8% da capacidade de armazenamento, 7,9 pontos porcentuais superior aos 29,9% registrados na mesma data de 2013. Apesar de mais confortável, a situação requer cuidados por parte do ONS porque não se sabe qual será o comportamento das chuvas até o fim do período úmido, em abril.

Atualmente, a previsão do ONS é de que os reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste comecem o mês de fevereiro com um nível de armazenamento de 49,9%. No Nordeste, a estimativa é de que inicie o próximo mês em 52,6%. O que segue pressionando o sistema, contudo, é o forte aumento no consumo puxado pelo calor e pelo aumento da renda. Nas contas do ONS, a carga de energia (consumo mais perdas) crescerá 10,4% entre janeiro de 2014 e igual mês de 2013.

O cenário de chuvas menos favorável para a próxima semana já influenciou o chamado preço de liquidação das diferenças (PLD), referência dos agentes de mercado na formação de preços da energia no curto prazo, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Na comparação com o período de 11 a 17 de janeiro com o 3 a 10 de janeiro, o PLD médio aumentou 37% no Sudeste, Centro-Oeste e Sul e teve alta de 73% no Norte, sendo fixado em R$ 388,98/MWh nas quatro regiões do País. No Nordeste, o aumento verificado foi de 38% no PLD médio, para R$ 391,80/MWh.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está fazendo pesquisa de preços para controlar o orçamento?