Publicidade

18 de Janeiro de 2014 - 09:43

Por AE-DJ - Agencia Estado

Compartilhar
 

Inspetores da agência de fiscalização nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) desembarcaram neste sábado em Teerã para supervisionar a implementação do histórico acordo que impõe restrições temporárias ao programa nuclear do Irã, de acordo com a agência de notícias estatal IRNA.

A equipe, que é liderada pelo diretor da força-tarefa da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês) para o Irã, Massimo Aparo, se reunirá com autoridades iranianas, informou a IRNA. Os inspetores foram encarregados de reportar à agência os passos a serem tomados por Teerã no pacto firmado entre o Irã e as grandes potências em novembro de 2013 e concluído na semana passada.

Conquistado depois de anos de negociações infrutíferas, o acordo entra em vigor em 20 de janeiro e deve durar por seis meses, período durante o qual o Irã, entre outras obrigações, deve restringir as operações de enriquecimento de urânio a 5%. O país também deve começar a neutralizar seu estoque de urânio purificado a 20%. Ambas as medidas serão monitoradas pelos inspetores da agência da ONU.

O chefe de energia atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, disse que os supervisores visitarão as duas instalações de enriquecimento de urânio, em Natanz e Fordo, na região central do país, segundo o IRIBNews.ir. "Uma das responsabilidades deles é inspecionar as máquinas centrífugas para garantir a suspensão do enriquecimento de 20% ocorra", disse Salehi.

Em troca, as sanções impostas ao Irã serão aliviadas e o país terá acesso a quase US$ 4,2 bilhões de ativos congelados em oito parcelas. Durante os seis meses do pacto, o Irã manterá intensas negociações com Grã-Bretanha, China, França, Rússia, Estados Unidos e Alemanha para chegar a um acordo mais abrangente que reduza as preocupações do Ocidente com os planos nucleares iranianos. Alguns governos suspeitam que o programa nuclear do Irã mascara uma manobra para produção de armas nucleares, algo que Teerã nega veementemente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?