Publicidade

11 de Março de 2014 - 01:12

Por Luciana Dias - Agencia Estado

Compartilhar
 

O operário José Martins, de 55 anos, que trabalha nas obras da Arena Amazônia, uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, em Manaus, sofreu um acidente na manhã desta sexta-feira. Segundo informações preliminares, uma peça de ferro de um guindaste caiu na cabeça do trabalhador. Outros dois funcionários passaram mal e também estão sob atendimento médico.

De acordo com outros funcionários da obra, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) demorou para chegar ao local do acidente e o operário ferido foi socorrido inicialmente por colaboradores de uma Unidade Móvel particular.

O homem foi levado ao Hospital 28 de Agosto, que fica próximo à Arena Amazônia, e seria transferido para o Hospital João Lúcio, especialista em traumatologia, localizado na zona leste de Manaus. Até o início desta tarde ainda não havia sido divulgado um boletim médico sobre o operário, que é um funcionário terceirizado da construtora Andrade Gutierrez, que é responsável pelas obras do estádio.

A assessoria da Unidade Gestora do Projeto Copa no Amazonas (UGP Copa) informou à Agência Estado que o acidente ocorreu com o operário em um sambódromo que fica ao lado da Arena Amazônia. No local, ele e outros funcionários faziam a desmontagem de um guindaste utilizado durante as obras.

Nesta sexta-feira, o governador do Amazonas, Omar Aziz, e políticos do Estado iriam vistoriar a Arena. Após o acidente, a assessoria de imprensa do governo amazonense anunciou que Aziz cancelou a visita.

Outros três operários já morreram durante a construção da Arena Amazônia, que nesta semana concluiu 96,68% de obras concluídas, segundo o último balanço divulgado pela construtora Andrade Gutierrez, que é a responsável pelo estádio. Uma das 12 sedes dos jogos da Copa do Mundo, o local deve ser inaugurado ainda neste mês.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?