Publicidade

18 de Janeiro de 2014 - 07:49

Por Cláudia Trevisan, correspondente - Agencia Estado

Compartilhar
 

O nome de Edward Snowden foi mencionado em duas ocasiões pelo presidente Barack Obama no discurso em que apresentou ontem (17) a reforma dos serviços de inteligência do país. Apesar de as mudanças terem sido claramente motivadas pelas revelações do ex-técnico da NSA, o presidente criticou o modo "sensacionalista" em que elas ocorreram.

"Se qualquer indivíduo que se opõe a políticas do governo pode tomar em suas mãos a revelação pública de informação secreta, então nós não seremos capazes de manter nossa população segura ou conduzir política externa", disse Obama.

O presidente reconheceu indiretamente a importância das revelações. "Independentemente de como chegamos aqui, a tarefa diante de nós é maior do que simplesmente reparar o dano feito às nossas operações ou prevenir que novas revelações ocorram no futuro." Em Londres, Julian Assange, coordenador do site WikiLeaks, disse que Obama não teria anunciado reformas "não fosse por Snowden e outros delatores antes dele". As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?