Publicidade

11 de Março de 2014 - 00:39

Por Vítor Marques - Agencia Estado

Compartilhar
 

Pela troca entre Alexandre Pato e Jadson, que deve ser oficializada nesta quinta-feira, ficou definido qual jogador não poderá enfrentar o seu ex-clube. E por uma exigência de contrato o primeiro deles não jogará contra o Corinthians no período em que estiver no rival, garantiu o diretor de futebol Ronaldo Ximenes após a derrota para o Bragantino por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu. "Ele vai por empréstimo e não joga contra Corinthians." Isso não acontece com Jadson, que será contratado em definitivo pelo clube alvinegro. Ele assinará contrato de dois anos e os direitos econômicos do jogador ficarão divididos em partes iguais (50% para cada).

O Corinthians fica responsável por pagar os salários de Jadson e uma parte dos rendimentos de Alexandre Pato neste período de dois anos. Também ficou decidido que o clube do Parque São Jorge pode vender o atacante para a Europa a qualquer momento. Pato não pode defender o São Paulo no Campeonato Paulista porque já excedeu o número de jogos pelo time corintiano permitido no regulamento.

Em tese, para o Corinthians, é bom que o atacante vá muito bem no São Paulo. Dessa maneira ele poderia ser negociado com o futebol europeu, diminuindo assim o prejuízo na sua contratação. Há um ano, o Corinthians comprou Pato por R$ 40 milhões - e sequer acabou de pagar este valor. Essa "dívida" com o Milan continua sendo de responsabilidade do Corinthians.

Os dois respectivos presidentes de Corinthians e São Paulo, Mário Gobbi e Juvenal Juvêncio, assinaram o contrato da transferência nesta quarta-feira. O primeiro deles revisou os últimos detalhes no Pacaembu, durante o jogo contra o Bragantino. Já os dois jogadores vão assinar o contrato nesta quinta-feira. Só depois disso é que haverá o anuncio oficial da negociação.

Nos bastidores, o Corinthians alega que a invasão ao CT por parte das organizadas, no último sábado, não influenciou na saída de Pato. Dirigentes iniciaram a negociação com o São Paulo há uma semana, no dia seguinte à goleada sofrida para o Santos por 5 a 1. Neste período houve uma série de negociações entre ambas as partes.

Pato também recebeu sondagens do Flamengo e principalmente da Juventus, da Itália, que tentou contratar o jogador por empréstimo. O presidente Mário Gobbi disse que havia ainda outras propostas pela estrela e elogiou a qualidade do atleta, agora ex-jogador corintiano. Se na visão de Gobbi Pato é tão bom assim e interessa a várias equipes, o presidente foi questionado, então, por que o atacante não deu certo no Corinthians.

"Por que não deu certo no Corinthians? Poxa vida, é porque o futebol tem essas nuances, esses mistérios. Vamos ver o que é bom para o clube. Pato é um grande jogador, não foi uma decepção de jeito nenhum. Ele é um craque. E é temporário porque ele tem contrato até 2016, o Corinthians investiu milhões de euros por ele. O Pato é patrimônio do clube", disse Gobbi.

A negociação já gerou revolta de conselheiros do clube que estiveram no Pacaembu. Um deles chegou a conversar com o diretor de futebol Ronaldo Ximenes. A maior queixa não era em se livrar de Pato, mas sim de reforçar um rival. E ainda pagar parte do salário do atleta. Ainda que o atacante fique os dois anos de contrato no São Paulo, ele ainda terá um ano de vinculo com o Corinthians - o compromisso termina em 2016. Conselheiros prometem cobrar o presidente Mário Gobbi no clube.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?