Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 20:36

Por Zuleide de Barros - Agencia Estado

Compartilhar
 

Desde domingo, 8, a Polícia de Cubatão tenta localizar três rapazes que teriam matado o turista canadense Dean Willian Tiessen, de 46 anos, no sábado, 7, quando seu carro foi abordado na Via Anchieta, altura da Cota 95, no momento em que ele tentava retornar à capital paulista, depois de visitar as praias do Guarujá. O empresário do setor agrícola estava no Brasil há dez dias. O inglês Paul Adrian Carver, que o acompanhava, contou à Polícia que seu amigo não reagiu ao assalto e que entregou todo o dinheiro que tinha no bolso, cerca de R$ 150,00. Dean levou dois tiros no peito e no braço e não resistiu aos ferimentos. Seu corpo foi liberado no final da tarde desta segunda-feira, 9, pelo Instituto Médico-Legal de Santos. O vice-cônsul do Canadá em São Paulo, Collin Holditch, está na cidade para conseguir uma autorização da Polícia Federal para o translado. Dean deixou mulher e quatro filhos. Era a terceira vez que visitava o Brasil.

Segundo informou o delegado Wanderley Mange, do 1.o Distrito Policial de Cubatão, a equipe de investigadores rastreou toda a Cota 95, a fim de obter a identidade dos condutores do carro branco. "Infelizmente o turista inglês não soube informar o modelo e as características do carro, para ampliarmos a investigação", disse. Os investigadores agora se concentram em apurar informação nos bares do bairro-cota, além de apelar para possíveis testemunhas. Os investigadores também estiveram no Centro Operacional da Ecovias para buscar eventuais imagens das câmeras de monitoramento. A câmera mais próxima da Cota 95 estava desligada no momento do crime e, segundo seus operadores, existe um "ponto cego", naquele local, fato que poderia ser de conhecimento dos marginais.

De acordo com o delegado Mange, além de assustado, o turista inglês, que retornou nesta segunda ao seu país, estava confuso. Ele não soube precisar as características físicas dos assaltantes. "Ele só soube dizer que eram muito jovens", afirmou o delegado, que também deve ouvir, mais uma vez, o depoimento do caminhoneiro assaltado no mesmo local, momentos antes do ataque ao turista canadense. Os assaltantes roubaram a importância de R$ 80,00, um aparelho de celular e um GPS do motorista.

Dois rapazes foram presos nesta segunda como os principais suspeitos pela morte do turista de Diadema (SP) Edi Nélson Manuel de Barros, morto na madrugada de domingo na Rodovia Padre Manuel da Nóbrega, área continental de São Vicente. Os dois suspeitos encontram-se detidos no Centro de Detenção Provisória de Praia Grande.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?