Publicidade

11 de Março de 2014 - 20:17

Por Rene Moreira, especial para AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

A Polícia Civil de São Carlos (SP) tenta descobrir o que aconteceu com o estudante Sérgio Gonçalves Lima, de 22 anos, encontrado morto no domingo, 23. Ele foi visto pela última vez sendo expulso por seguranças de uma festa de formatura. Aluno de educação física da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e estagiário do Sesc de Araraquara (SP), o rapaz foi achado próximo ao local do evento já morto e com vários ferimentos, inclusive, traumatismo craniano.

O corpo estava em uma estrada de terra, no Jardim Embaré, a cerca de 300 metros da festa. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que, além do traumatismo, houve hemorragia interna na região lombar dorsal. Durante a confecção do boletim de ocorrência, seguranças negaram que o jovem estivesse na formatura, alegando que ele nem mesmo conseguiria entrar por estar sem os trajes exigidos.

Amigos do rapaz, que estão sendo ouvidos pela Polícia Civil, desmentiram esta versão e garantiram que o estudante foi ao local de van junto a vários outros convidados. E que teria se envolvido numa discussão após olhar para uma jovem que estaria acompanhada do namorado. Por conta disso, ele foi retirado do local por seguranças durante a madrugada e desde então não foi mais visto na festa.

Fotos da vítima durante o evento foram postadas por amigos nas redes sociais e o delegado Gilberto de Aquino, que investiga o caso, confirma não haver dúvidas que o estudante morto esteve mesmo no local. "Ele teve um desentendimento com um casal após olhar para a moça que tinha namorado", contou. A polícia quer agora ouvir os seguranças para que expliquem o que aconteceu durante a festa. O objetivo é saber como o universitário foi abordado e para onde foi levado ao ser expulso do salão.

Ainda na madrugada policiais militares chegaram ao local onde estava o corpo após uma ligação ao 190 informando que uma pessoa teria sido atropelada. Porém, a polícia já descartou que a vítima tivesse sofrido qualquer tipo de acidente de trânsito. Um dos motivos é o fato de que o corpo estava seco e isso mesmo tendo chovido poucos antes na região. Policiais trabalham com a hipótese de que o estudante foi morto em outro local e jogado na estrada de terra.

O delegado iniciou a semana entrando em contato com a empresa que fez a festa e buscando identificar os seguranças. O casal envolvido na discussão também é procurado para dar sua versão sobre os acontecimentos. O rapaz é de Capão Redondo, em São Paulo, e seria sepultado na tarde desta segunda-feira, 24. Ao ser encontrado, ele portava carteira, documentos e uma pasta escolar.

A empresa responsável pela festa é de Bauru (SP) e nega qualquer relação entre a morte do rapaz e a formatura. Mas prometeu realizar uma apuração interna e colaborar com a polícia para que o caso seja esclarecido.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?