Publicidade

16 de Janeiro de 2014 - 09:37

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Os arranha-céus de Pequim desapareceram em meio à densa fumaça nesta quinta-feira. A concentração de material particulado no ar da capital chinesa estava mais de 24 vezes acima do nível considerado seguro, o que significa que a situação é extremamente perigosa. O ar estava com um odor ácido e muitas pessoas usavam máscaras no caminho para o trabalho.

"Eu não conseguia ver os prédios altos do outro lado da rua nesta manhã", disse o coordenador de tráfego de um movimentado cruzamento de Pequim, que se identificou apenas pelo sobrenome, Zhang. "A poluição piorou nos últimos três anos. Eu costumo tossir e meu nariz está sempre irritado. Mas o que posso fazer? Eu bebo mais água para ajudar meu corpo a eliminar as toxinas."

A qualidade do ar na cidade é ruim, especialmente no inverno, quando padrões climáticos de estagnação, combinados com o aumento da queima de carvão, agravam outras formas de poluição, criando períodos de forte nevoeiro com poluentes, fenômeno também chamado de smog, que duram dias. Mas as leituras na manhã desta quinta-feira indicavam que a quantidade de partículas inaláveis com diâmetro inferior a 2,5 micrômetros (PM 2,5) estava acima dos 500 microgramas por metro cúbico

A densidade das partículas PM 2,5 estava entre 350 e 500 microgramas, chegando a 671 microgramas às 4h, segundo dados de um posto de monitoramento da embaixada dos Estados Unidos em Pequim. Este valor é cerca de 26 vezes mais alto do que os 25 microgramas considerados seguros pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é o mais alto na capital desde janeiro de 2013.

A poluição do ar é um grande problema na maior parte das principais cidades da China, onde a proteção ambiental tem sido sacrificada em favor do desenvolvimento econômico. A queima de carvão e as emissões dos escapamentos dos carros são a principal fonte de poluição. Nos últimos anos, a China tem intensificado as regulações e prometido recursos para combater o problema.

Na cidade de Harbin, nordeste do país, foram registrados até 1.000 microgramas de partículas PM 2,5 em outubro. Em dezembro, a cidade costeira de Xangai e províncias próximas foram tomadas pelo ar sujo durante vários dias, enquanto a densidade de partículas PM 2,5 superava os 600 microgramas.

Autoridades de Pequim disseram que a névoa desta quinta-feira reduziu a visibilidade e que essas condições devem se manter até sexta-feira. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?