Publicidade

20 de Janeiro de 2014 - 13:19

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O líder da capital indiana criticou duramente a atuação da polícia na cidade, acusando a corporação de agir com severamente contra a população mais pobre por causa de crimes menores ao mesmo tempo em que se omite no combate a crimes sérios.

O ministro-chefe de Nova Délhi, Arvind Kejriwal, assumiu o executivo da cidade em dezembro com a promessa de combater a corrupção e cuidar dos homens comuns. Hoje, ele liderou centenas de seus partidários em um protesto contra a polícia.

Kejriwal criticou a polícia por tomar dinheiro dos condutores de riquixá por causa de pequenas infrações enquanto faz pouco ou nada para reprimir crimes mais graves, como o tráfico de entorpecentes e a prostituição.

"Nenhuma rede de tráfico pode florescer em Délhi sem o conhecimento da polícia", afirmou Kejriwal. "Queremos acabar com isso e fazer com que a polícia de Délhi preste contas à população da cidade", prosseguiu.

A polícia de Nova Délhi é subordinada ao governo federal.

O ministro-chefe, cujo cargo equivale ao de prefeito, convocou a população da capital indiana a protestar durante dez dias.

Kejriwal elegeu-se pelo Partido do Homem Comum, uma legenda iniciante que teve desempenho surpreendentemente bom nas eleições regionais do mês passado, capitalizando a insatisfação da população com a corrupção em meio a uma sucessão de escândalos no país. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?