Publicidade

11 de Março de 2014 - 06:51

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, classificou a interceptação de mensagens de seu e-mail como graves, insólitas e inaceitáveis. Segundo comunicado enviado à imprensa, o presidente exigiu das autoridades uma investigação imediata.

O colunista Daniel Coronell, da revista Semana, publicou um e-mail neste domingo no qual o presidente teria conversado com o filho do pintor Fernando Botero, em dezembro de 2012, sobre a possibilidade de comprar várias obras. O negócio nunca se concretizou. "O e-mail publicado por Daniel Coronell em sua coluna de hoje corresponde à minha conta pessoal. Eu ressaltei isso quando ele me contatou para confirmar a veracidade do e-mail", disse o presidente.

Em comunicado, Santos indicou que solicitou "investigações para determinar as responsabilidades, sem descartar nenhuma hipótese e com o propósito de chegar às últimas consequências".

Santos disse que não seria raro que, entre os próximos dias e o fim da campanha eleitoral, circulassem novas correspondências para prejudicá-lo. "A estratégia comum destes casos é circular, gota a gota, e-mails verdadeiros e e-mails mentirosos", disse.

A suposta interceptação ilegal do e-mail de Santos surge três semanas depois de a revista Semana afirmar, em artigo, que alguns membros da equipe de negociadores de do governo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) eram alvo de espionagem pela inteligência militar. O ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, disse na véspera que a Colômbia pediu ajuda da Espanha, Reino Unido, Coreia do Sul e Israel para esclarecer a origem das espionagens. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?