Publicidade

13 de Janeiro de 2014 - 16:58

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

A procuradoria-geral colombiana ratificou nesta segunda-feira a destituição do prefeito de Bogotá, Gustavo Petro. Não cabe recurso à decisão do procurador-geral Alejandro Ordóñez, que também proibiu Petro de ocupar cargos públicos durante 15 anos.

A decisão foi publicada hoje à tarde na página da procuradoria-geral da Colômbia na internet. Não ficou claro, no entanto, quem substituirá o prefeito nem se a medida tem efeito imediato.

Ex-senador de 53 anos de idade, Petro militou no grupo guerrilheiro agora pacificado Movimento 19 de Abril (M-19). O prefeito ainda não se pronunciou sobre a destituição.

Ordóñez já havia decidido pelas punições em 9 de dezembro, mas Petro recorreu. Segundo o procurador-geral, o prefeito bogotano cometeu "falta gravíssima" ao mudar por decreto o sistema de coleta de lixo na capital colombiana em dezembro de 2012 em uma tentativa de fazer frente à "máfia do lixo" local.

Segundo a procuradoria-geral, Petro violou os princípios constitucionais "livre empreendimento" e "concorrência".

O cargo de prefeito de Bogotá é a segunda função eletiva mais importante da Colômbia, abaixo somente da Presidência da República. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?