Publicidade

11 de Dezembro de 2013 - 08:07

Por Diego Zanchetta, Fábio Leite e Laura Maria de Castro - Agencia Estado

Compartilhar
 

Quase metade dos "campeões" de votos nas eleições para o Conselho Participativo Municipal de São Paulo é petista. Dos 96 primeiros colocados na disputa do último domingo em cada um dos distritos da capital, 41 são filiados ao partido do prefeito Fernando Haddad (PT), enquanto cinco são militantes do PSDB, principal legenda de oposição. Ao todo, 1.125 foram eleitos para mandato de dois anos sem remuneração. A posse será no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade.

Os dados foram obtidos a partir de um levantamento feito pela reportagem com base na relação de filiações partidárias disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e na lista de votos das eleições do Conselho apresentada pela Prefeitura. O resultado final saiu às 21 horas desta terça-feira, 10. A demora se deu por causa de um problema em 86 urnas nas Subprefeituras de M?Boi Mirim e Campo Limpo, onde a contagem dos votos teve de ser feita manualmente.

Pela amostragem feita com os conselheiros mais votados, 43% dos eleitos com a função de propor ações públicas em seus respectivos distritos e fiscalizar os gastos da Prefeitura são do mesmo partido de Haddad. Eles também terão autonomia para obter informações oficiais e contestar atos da gestão nas regiões das 32 subprefeituras. Na média, cada um dos eleitos vai representar 10 mil paulistanos no conselho.

Os petistas venceram principalmente nos distritos da periferia paulistana, em especial na zona leste, como em Guaianases, Itaim Paulista e São Mateus. Já em Cidade Dutra, na zona sul, Gustavo Tatto, sobrinho do líder de Haddad na Câmara Municipal, Arselino Tatto, e do secretário de Transportes, Jilmar Tatto, não foi o mais votado, mas está entre os eleitos.

"Ele é filho do meu irmão mais velho, Leonide Tatto, que foi administrador regional na época da (ex-prefeita Luiza) Erundina. O Leonide ajudou a fundar o PT, é uma das maiores lideranças do partido na zona sul. E meu sobrinho é filiado desde os 16 anos, só fala de política, até com a namorada. Faz duas semanas ele foi eleito presidente zonal do PT na Capela do Socorro", disse o vereador.

As eleições ocorreram no último domingo, 8, e levaram cerca de 120 mil pessoas às urnas - 1,4% do total de eleitores da cidade (8,6 milhões). A participação foi aquém do esperado pela Prefeitura, que projetava 500 mil votantes. Antes do pleito, o PSDB e o PPS, partidos de oposição a Haddad, ingressaram com um mandado de segurança pedindo, sem sucesso, a suspensão da eleição por causa de alterações feitas pela Prefeitura durante o processo eleitoral que permitiam que um conselheiro recebesse votos de eleitores de todas as regiões, e não só do distrito por onde se candidatou.

Para o vereador Floriano Pesaro, líder do PSDB na Câmara Municipal, além da mudança, a eleição deveria ser anulada por causa das falhas na divulgação da disputa. "Ninguém ficou sabendo da eleição, foi uma vergonha essa mudança de regras. Corremos o risco de ter um conselho aparelhado pelo PT em ano de eleição. Isso é muito grave", criticou o tucano. "Foi uma eleição sem divulgação, dominada por gente ligada ao governo", emendou Andrea Matarazzo (PSDB).

Mario Covas Neto (PSDB) atacou o prefeito Fernando Haddad (PT) e lembrou as falhas que causaram a suspensão da prova do Enem em 2010. "Não houve organização alguma, tudo foi feito às pressas, sem esclarecimento à população. Lembrou muitos as falhas do Enem, acho que o prefeito precisa ter uma organização melhor nesses tipos de evento."

Arselino Tatto admitiu falhas de comunicação na eleição, mas não vê motivos para cancelamento ou suspensão do resultado. "É claro que tivemos alguns problemas, até porque foi a primeira vez. Os eleitores tiveram muitas dificuldades, eu mesmo tive de andar 3 quilômetros para votar. Mas acho que o resultado também foi extremamente positivo. Acho que a participação de filiados a partidos também é natural, e o número alto de filiados ao PT mostra que o partido está enraizado nas periferias." As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?