Publicidade

11 de Março de 2014 - 04:52

Por Edison Veiga - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) iniciou na semana passada a fase final de análise da estrutura do Auditório Simón Bolívar, do Memorial da América Latina, atingido por um incêndio em novembro do ano passado. Esse levantamento deve ser concluído em 75 dias. A previsão da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS) é de que o local esteja restaurado até o fim do ano. Segundo a administração do Memorial da América Latina, as obras de recuperação do espaço na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, deve começar nos próximos dias.

O IPT realizou uma visita ao auditório logo após o incêndio. "A avaliação preliminar serviu de parâmetro para a elaboração da proposta de trabalho", conta o engenheiro civil Daniel Mariani Guirardi, do instituto.

"Recomendamos que fosse feita a limpeza dos escombros e o escoramento de partes da estrutura. Analisamos toda a documentação dos projetos estruturais e arquitetônico e iniciamos os trabalhos de campo na semana passada, após o término da limpeza dos escombros."

Na atual fase, os profissionais do instituto inspecionam a área e levantam todos os danos na estrutura do auditório, com registros fotográficos e desenhos esquemáticos. "Também serão realizados ensaios no concreto e nas armaduras para subsidiar a elaboração de recomendações e especificações para recuperação da estrutura", explica Guirardi. "No fim, será elaborado um relatório técnico com todos os resultados."

Em nota divulgada nesta segunda-feira, 17, o cineasta João Batista de Andrade, presidente do Memorial da América Latina, afirmou que "as ações estão dentro do planejamento do restauro, a CPOS já foi acionada para gerenciar a obra assim que o IPT entregar o laudo que vai pontuar as ações do restauro". Andrade ainda afirmou que a intenção é ter o Auditório Simón Bolívar "pronto o mais rápido possível".

O incêndio que destruiu 90% do Auditório Simón Bolívar aconteceu em 29 de novembro do ano passado. O fogo causou danos em vidraças, provocou rachaduras nas paredes e destruiu uma tapeçaria de Tomie Ohtake. Durante a operação, 25 bombeiros ficaram feridos. Inaugurado em 1989, o Memorial da América Latina foi projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012). As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?