Publicidade

20 de Janeiro de 2014 - 11:26

Por Caio do Valle - Agencia Estado

Compartilhar
 

O rodízio municipal de veículos voltou a vigorar nesta segunda-feira, 20, em São Paulo, após quase um mês de suspensão. Os carros que têm placas com final 1 e 2 ficam proibidos de circular no centro expandido da capital nos horários de pico da manhã e da tarde - das 7 às 10 horas e das 17 às 20 horas. Inicialmente, o rodízio voltaria a valer no dia 13 de janeiro, mas a Prefeitura decidiu adiar o seu retorno em mais uma semana porque os índices de congestionamentos estavam dentro da média.

Em abril, a Prefeitura pode ampliar a proibição para mais 371 quilômetros lineares de ruas e avenidas fora no minianel viário. Devem ser contempladas cerca de 400 vias, entre as quais as avenidas como Brás Leme, Radial Leste, Aricanduva, Professor Francisco Morato e Inajar de Souza. São eixos que estão fora dos 150 km² do centro expandido, área onde o rodízio vigora desde 1997.

A data de ampliação ainda não foi definida pelo secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. De acordo com estudos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), quando a solução for adotada, poderá fazer com que a velocidade média no pico da manhã melhore 8,5%, subindo dos atuais 18,9 km/h para 20,5 km/h. No caso das vias arteriais, o aumento seria de 15 km/h para 16,8 km/h, ou seja, de 12%.

A proposta original era ampliar o rodízio para mais 240 km lineares de vias, em vez de 371 km. Além das chamadas vias arteriais 1, a CET incluiu as arteriais 2 na proposta, abrangendo avenidas como o Viaduto Engenheiro Alberto Badra e a Rua dos Jequitibás.

O número de placas por dia e o período do rodízio não seriam alterados, funcionando como hoje. Além disso, a CET dará um prazo maior após a implementação da nova área de rodízio para os motoristas serem informados, antes de começar a fiscalização.

No ano passado, foram aplicadas 2.177.038 multas por desrespeito ao rodízio em São Paulo, informou a CET. Trata-se de um patamar um pouco menor do que o registrado em 2012, quando 2.196.347 infrações foram lavradas pelo órgão que fiscaliza o trânsito. A maior parte é registrada pela fiscalização eletrônica, por meio de radares.

Ao todo, houve 10.153.567 de multas de trânsito em 2013, ante 9.958.646 no ano anterior.O motorista que desrespeita o rodízio está sujeito a levar multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?