Publicidade

07 de Dezembro de 2013 - 11:37

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, defendeu o acordo nuclear provisório assinado com potências mundiais no mês passado. O pacto flexibiliza algumas das sanções contra o país em troca de uma suspensão das atividades em certas partes do programa de enriquecimento de urânio da República Islâmica. Segundo o presidente, a melhora da economia é tão importante quanto a manutenção de um programa nuclear pacífico.

Hassan Rouhani disse a estudantes em Teerã no sábado que o progresso econômico não pode ser alcançado sem a interação com o mundo exterior. Ele afirmou que o governo vai continuar a sua política de moderação, em nítido contraste com o estilo de seu antecessor, Mahmoud Ahmadinejad.

"A tecnologia nuclear e o enriquecimento de urânio são nosso direito definitivo", disse Rouhani em um discurso para estudantes universitários, que foi transmitido ao vivo pela TV estatal. "Mas o progresso, melhores condições de vida e bem-estar para as pessoas também são nosso direito definitivo. Quebrar e desmantelar a arquitetura das sanções" são também nosso direito definitivo.

Uma série de sanções criadas por potências ocidentais contra o Irã prejudicaram a economia do país e Rouhani foi eleito no início deste ano com a expectativa de que pudesse corrigir rapidamente o mal-estar econômico. As sanções foram criadas por causa do programa nuclear iraniano.

O acordo provisório de seis meses inclui maior acesso dos inspetores da ONU ao Irã e um limite para o nível de enriquecimento de urânio. Contudo, Rouhani enfrenta a difícil tarefa de convencer céticos e os linhas-duras do país sobre o acordo.

"Precisamos de unanimidade nacional e consenso para alcançar nossos objetivos. Então, devemos aumentar nossa tolerância, disse Rouhani com um sorriso. "Se não podemos resolver um problema doméstico através da racionalidade e da unanimidade, como podemos resolver os problemas regionais e globais complicados?", perguntou.

Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?