Publicidade

10 de Dezembro de 2013 - 22:55

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Os negociadores do orçamento no Congresso afirmaram nesta terça-feira que chegaram a um acordo orçamentário para evitar uma paralisação do governo e trazer uma dose rara de estabilidade à questão fiscal ao longo dos próximos dois anos.

O acordo estabelece novos limites de endividamento para 2014 e 2015 e restitui alguns dos cortes automáticos em programas sociais e militares que começaram mais cedo neste ano, tornando muito mais fácil ao Congresso evitar outra paralisação em janeiro de 2014.

"Eu vejo este acordo como um passo na direção certa", afirmou Paul Ryan, Presidente da comissão do Orçamento na Câmara dos Representantes. " No governo dividido você nem sempre consegue o que quer. Dito isso, ainda podemos avançar em direção aos nossos objetivos", completou.

Ryan fechou o acordo com a presidente da Comitê do Orçamento do Senado, Patty Murray. O novo acordo estabelece a substituição de alguns cortes automáticos de gastos nos próximos dois anos. Segundo Ryan e Murray, haverá uma redução do déficit fiscal, mas não ocorrerá uma elevação dos impostos.

"Há muito mais para o Congresso fazer", disse Murray. "Este acordo não resolve todos os nossos problemas. Mas eu acho que é um passo importante para ajudar a dissipar algumas diferenças no Congresso", acrescentou.

Ryan e Murray esperam que o acordo seja votado primeiro na Câmara e depois no Senado antes do recesso do final do ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?