Publicidade

10 de Março de 2014 - 22:06

Por Sanches Filho e Vítor Marques - Agencia Estado

Compartilhar
 

Santos e Corinthians fazem nesta quarta-feira na Vila Belmiro, às 22 horas, o primeiro clássico do Campeonato Paulista, válido pela quarta rodada. As duas equipes têm, portanto, uma chance para testar o real poder de seus elencos neste início de temporada.

Oswaldo de Oliveira e Mano Menezes iniciaram o ano com missão bem distintas. O técnico do Santos tenta montar uma equipe competitiva com um time mesclado por garotos, como Gustavo Henrique, Alan Santos e Gabriel, e jogadores mais experientes, casos de Cícero e Arouca.

Só que o treinador santista ainda não terá força máxima para o clássico. Leandro Damião ainda não vai estrear. Além disso, por causa da contusão de Geovânio, Oswaldo de Oliveira treinou o time no último coletivo com outra revelação da base, o atacante Jorge Eduardo, 19 anos, que foi bicampeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior do último sábado.

Se a garotada for bem contra o Corinthians, Oswaldo de Oliveira pode sonhar alto, mesmo perdendo o meia argentino Montillo para o futebol chinês. Cícero está escalado no meio ao lado de Arouca. Neto volta à zaga ao lado de Gustavo Henrique. "Todos os jogadores vão estar mais alerta e mais dispostos para esta partida", disse o técnico. "Não é um teste, mas é um jogo maior que os outros. São jogos assim que a gente tem para jogar e crescer".

No Corinthians, a missão de Mano Menezes era dar novo ânimo a um elenco que estava acomodado com as conquistas da era Tite. Deu certo nos dois primeiros jogos. Mas bastou uma derrota para que mudasse o ambiente, em especial pelas declarações de Alexandre Pato após a derrota para o São Bernardo. "Eu não jogo sozinho, jogo com mais 10, não depende só de mim. Tenho que fazer o que treinador pede".

A reclamação pegou mal entre os jogadores, comissão técnica e dirigentes. "Isso já foi abordado entre nós e é assunto interno", disse Mano Menezes. A tendência é que o treinador repita a escalação dos jogos contra a Portuguesa e Paulista, com o quarteto ofensivo formado por Rodriguinho, Danilo, Romarinho e Guerrero.

Ficou claro que a "experiência" com Ibson, Alexandre Pato e Emerson não deu muito certo contra o São Bernardo. "O que eu posso dizer é que ainda não temos qual é nossa força máxima. Hoje todos têm disposição para jogar, exceto o Fagner o Renato Augusto", disse Mano Menezes.

Fagner teve a sua documentação regularizada, mas o treinador preferiu mantê-lo fora da equipe e escalá-lo no domingo contra a Ponte Preta. Diego Macedo continua na lateral direita. Na esquerda, Uendel retorna.

PARÂMETRO - Mano Menezes, ao menos, já sabe o que espera do time para o jogo na Vila Belmiro. Ele quer que o Corinthians tenha atuação semelhante ao primeiro tempo da partida contra a Portuguesa, quando o time trabalhou bem o lado esquerdo do campo, com Uendel, Rodriguinho e Danilo, e usou como arma bolas aéreas para Guerrero. "Penso que foi quando jogamos o melhor futebol".

Já Oswaldo de Oliveira aposta em Gabriel, que mais uma vez fará a função de centroavante, e no bom momento do meia Cícero. Thiago Ribeiro pode jogar nos espaços deixados por Diego Macedo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?