Publicidade

27 de Dezembro de 2013 - 11:55

Por Circe Bonatelli - Agencia Estado

Compartilhar
 

O mercado de seguros de pessoas, que engloba produtos como o seguro prestamista, educacional e de vida individual e em grupo, movimentou R$ 2,2 bilhões em outubro, valor 13,53% superior aos R$ 1,9 bilhão registrado em igual mês do ano passado, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 27, pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi). Na avaliação do resultado de janeiro a outubro o mercado de seguro de pessoas acumulou R$ 21,3 bilhões em prêmios, alta de 18,09% ante o verificado em igual intervalo do ano passado.

"O desempenho desse seguro está diretamente relacionado ao crescimento da renda do brasileiro e à importância do produto para manutenção do padrão de vida dos dependentes na ausência do responsável financeiro na família", afirmou em nota Osvaldo Nascimento, presidente da FenaPrevi.

O auxílio funeral, produto que prevê cobertura das despesas incorridas com o sepultamento, em caso de falecimento do segurado, registrou o maior crescimento relativo no mês. O produto movimentou R$ 55 milhões em outubro, expansão de 233,09% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

No mês de outubro, o seguro contra desemprego e perda de renda foi outro com desempenho positivo. A modalidade somou R$ 5,5 milhões, 43,08% superior aos R$ 3,8 milhões registrados no mesmo mês em 2012.

O levantamento da FenaPrevi mostra também que o seguro de acidentes pessoais obteve um bom desempenho em outubro de 2013. Contabilizou R$ 417,9 milhões em prêmios, alta de 16,91% em relação aos R$ 357,5 milhões alcançados em outubro de 2012.

Em relação às indenizações, os segurados receberam cerca de R$ 674,1 milhões em outubro, 40,78% a mais do que o registrado no ano anterior, quando as seguradoras pagaram R$ 478,8 milhões às pessoas em forma de indenizações.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?