Publicidade

02 de Janeiro de 2014 - 10:46

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O ano começou muito bem para o tênis brasileiro. Nesta quarta-feira, no primeiro dia de 2014, Bruno Soares, ao lado do austríaco Alexander Peya, venceu a dupla do britânico Andy Murray, quarto do ranking mundial em simples. Logo em seguida, também em Doha, no Catar, Marcelo Melo, junto com o croata Ivan Dodig, ganhou de Rafael Nadal, líder da lista da ATP.

Os dois brasileiros abrem a temporada jogando em Doha e vão se enfrentar na semifinal, agendada para esta quinta-feira. Antes, venceram os jogos de estreia na terça-feira e ganharam enorme moral nesta quarta, com vitórias sobre dois dos melhores do mundo na atualidade.

Soares foi o primeiro a entrar em quadra e, com Peya, venceu de forma apertada a dupla formada pelo britânico Andy Murray e o sérvio Nenad Zimonjic, que é o 14.º do ranking mundial de duplas. O jogo foi decidido em dois sets, com parciais de 7/6 (7/5) e 6/4. "Grande jogo hoje (quarta). Um pouco maluco, mas muito bom nível. Extremamente feliz com essa vitória. Primeira semi do ano", comemorou Soares, pelo Twitter.

Mais cedo, Murray já havia sido eliminado da chave de simples, pelo alemão Florian Mayer. Rafael Nadal também teve rodada dupla nesta quarta-feira. Primeiro venceu o polonês Lukasz Kubot, em cansativos três sets. Depois voltou à quadra com o compatriota Francisco Roig e perdeu em dois sets para Melo e Dodig, com duplo 6/4 e 7/6 (7/1).

Soares, que é o terceiro do ranking mundial de duplas e forma com Peya a parceria cabeça de chave em Doha, vai enfrentar Melo já na próxima rodada, de semifinal. Do outro lado da chave estão Kas/Kohlschreiber, da Alemanha, e Berdych/Hajek, da República Checa. Segunda dupla favorita, David Marrero e Fernando Verdasco caíram na primeira rodada.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?