Publicidade

02 de Dezembro de 2013 - 18:34

Por Almir Leite e Raphael Ramos - Agencia Estado

Compartilhar
 

A Fifa realiza na sexta-feira o sorteio dos grupos da Copa do Mundo preocupada com a possibilidade de voltar a ocorrer manifestações populares contra a competição, como ocorreu durante a Copa das Confederações. O sorteio, e todas as atividades a ele ligadas, estão ocorrendo na Costa do Sauípe, complexo turístico distante da capital Salvador e também de área urbana. Mesmo assim, há o temor de protesto e o aparato de segurança montado para o evento é bem forte.

O cuidado com a segurança de dirigentes da Fifa e de todas as pessoas envolvidas com o sorteio foi admitido nesta segunda-feira pelo Comitê Organizador Local. "Em todo evento você tem de estar preparado para tudo. Segurança vem em primeiro lugar, mas manifestações têm de ser respeitadas, faz parte da democracia. Mas o direito de ir e vir das pessoas tem de ser preservado", disse Saint Clair Milesi, diretor de comunicações do COL. "Temos confiança nas forças envolvidas com a segurança."

De fato, o trabalho nessa área é intenso. Dentro do complexo, há dezenas de homens das polícias federal e militar da Bahia, policiais civis e seguranças particulares. Eles estão espalhados pelas áreas de maior circulação de pessoas, mas também é possível avistá-los em pontos mais avançados.

Na estrada que dá acesso à Costa do Sauipe também há policiais espalhados. As autoridades do futebol que chegam a Salvador têm à disposição forte escolta, com batedores, veículos descaracterizados e até helicóptero. Somente do governo do Estado, 800 policiais estão à disposição do evento. São integrantes das polícias civil, militar e do Corpo de Bombeiros.

Durante a Copa das Confederações, em junho, a capital baiana teve os protestos mais violentos contra a Fifa. O hotel onde estavam hospedados dirigentes e membros que trabalhavam para a entidade sofreu tentativa de invasão e um ônibus com funcionário foi apedrejado. A Fifa, na ocasião, chegou a aconselhar seus colaboradores para que andassem em veículos sem o logotipo da entidade.

A polêmica em relação à escolha do casal de atores Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert para apresentar o sorteio também está sendo comentada na Costa do Sauipe. Luiz Gleiser, diretor da Globo eventos, negou mais uma vez que a Fifa tenha vetado Camila Pitanga e Lázaro Ramos e descartou qualquer conotação racista na escolha feita.

"A Fifa não tem nada a ver com isso. Vários nomes foram propostos, entre eles Fernanda mãe e filha (Fernanda Montenegro e Fernanda Torres), Rodrigo Santoro. A Globo e a Geo Eventos estudaram vários nomes. Fernanda Lima e Rodrigo foram escolhidos porque já participaram de eventos da Fifa e têm experiência", explicou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?