Publicidade

27 de Dezembro de 2013 - 16:22

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) negou pela terceira vez o pedido de impugnação do Vasco, que ainda sonhava em evitar a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira, os auditores do Pleno do STJD foram unânimes ao negar, pelo placar de 8 a 0, o pedido do clube carioca de anular o jogo contra o Atlético-PR.

A partida, válida pela rodada final do Brasileirão, foi marcada pela pancadaria entre as duas torcidas na Arena Joinville, em Santa Catarina. A violência levou quatro torcedores para o hospital; a polícia identificou cerca de 60 deles, que ainda podem sofrer punições em 2014.

Em razão da pancadaria, o jogo foi paralisado por 1h13min, o que infringiria o Regulamento Geral de Competições da CBF, que prevê interrupção máxima de uma hora. Foi com base nesta regra que o Vasco tentou impugnar o jogo, no qual teve seu rebaixamento definido, com uma goleada por 5 a 1.

O clube carioca alegava que a partida não poderia ter sido reiniciada por falta de segurança, já que poucos policiais estavam presentes nas arquibancadas. Com a impugnação, o Atlético receberia a culpa pela insegurança, por ser o mandante, o que faria o Vasco herdar os pontos da partida, evitando o rebaixamento.

A tese não convenceu o presidente do STJD, Flávio Zveiter, que indeferiu por duas vezes o pedido vascaíno. Nesta sexta foi a vez de o Pleno do Tribunal negar a tentativa de anular o jogo. O relator Ronaldo Botelho Piacente votou contra o pedido e foi acompanhado pelos demais auditores.

Depois desta tentativa frustrada, o Vasco voltará ao STJD em janeiro para tentar reduzir a punição sofrida em razão da briga de torcidas na rodada final do Brasileirão. O time carioca perdeu oito mandos de campo, sendo quatro deles com portões fechados, e ainda levou multa de R$ 80 mil.

O julgamento do pedido de impugnação do Vasco encerrou os trabalhos do STJD nesta sexta. O tribunal ainda tinha na pauta a decisão sobre uma escalação irregular do Cruzeiro, que não coloca em risco o título da equipe mineira. O presidente do tribunal, no entanto, decidiu retirar o caso da pauta do dia. Será remarcado para outra data, ainda não definida.

Antes destes casos, o STJD havia negado recurso da Portuguesa e do Flamengo, ambos por unanimidade, nesta sexta-feira. As decisões confirmaram o rebaixamento da Portuguesa, a permanência do Fluminense na primeira divisão e o encerramento da campanha do Flamengo na 16ª colocação da tabela - terminou o campeonato em 11º, mas perdeu cinco posições por ter escalado André Santos de forma irregular no último jogo do Brasileirão.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?