Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 21:01

Por Elder Ogliari - Agencia Estado

Compartilhar
 

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), contestou as afirmações do ex-secretário nacional da Justiça, Romeu Tuma Jr, de que, como ministro da Justiça, entre 2007 e 2010, não teria mandado apurar denúncia de existência de uma conta no exterior que serviria de "lavanderia do mensalão".

Em viagem da China, onde esteve em missão oficial, para o Brasil, Tarso não concedeu entrevistas, mas respondeu às acusações de Tuma Jr publicadas pela revista Veja no final de semana por meio de seus assessores.

Tarso assegurou que encaminhou à Polícia Federal todas as denúncias com indícios de corrupção que recebeu quando era ministro da Justiça. Afirmou, no entanto, que Tuma Jr. não apresentou a ele a denúncia da conta do mensalão no exterior e que o então secretário, na função que exercia, tinha autonomia para encaminhar eventuais pedidos diretamente à Polícia Federal.

Na mesma entrevista à revista Veja, Tuma Jr. afirmou que era pressionado por Tarso a vazar dossiês contra adversários políticos do governo federal. O governador gaúcho sustentou que isso não ocorreu. E destacou que à época em que foi ministro houve intensificação do combate à corrupção sem motivação política ou ideológica.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?