Publicidade

06 de Dezembro de 2013 - 16:49

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Roy Hodgson, técnico da Inglaterra, chegou a dizer que preferia encarar um "grupo da morte" a enfrentar o clima amazônico na Copa do Mundo de 2014. Não sabia ele que o sorteio desta sexta-feira, na Costa do Sauipe, colocaria os ingleses não só na chave que parece ser a mais complicado do Mundial, contra Itália e Uruguai, mas também reservaria uma partida para a Inglaterra em Manaus.

Será exatamente a estreia da Inglaterra, dia 14 de junho, às 21h, contra a Itália. Ali, deverá ter enorme torcida contra depois da inimizade que criou. Sabendo disso, o treinador foi muito mais político após o sorteio: "Será uma grande chance de conhecer o Norte do Brasil, uma experiência muito interessante", afirmou ele à BBC.

O treinador lembrou, porém, que não será fácil atuar em Manaus, para nenhum dos dois europeus, ainda que o clássico esteja marcado para a noite (21h locais, 22h de Brasília). "O jogo será complicado do ponto de vista climático para as duas equipes. Estamos todos no mesmo barco", comentou.

Hodgson admitiu, como não poderia ser diferente, que o grupo é muito complicado. "Não existe dúvidas de que é um grupo difícil. Com Itália e Uruguai, temos outros dois favoritos na nossa chave", comentou ele, que também elogiou a azarã Costa Rica. "É um time muito, muito forte. Jurgen Klinsmann (técnico dos EUA) me contou quão duros eles são."

Pelo menos na teoria, a Inglaterra parece estar atrás da Itália, que sempre é muito perigosa, e do Uruguai, semifinalista do último Mundial e atual campeão da Copa América. "Ninguém ganha um jogo no papel. Sempre são 11 contra 11. Se a gente se preparar bem, podemos vencer os três jogos", disse Hodgson.

Já o artilheiro do time, Wayne Rooney, afirmou que não há o que a Inglaterra temer: "Se nós queremos ser os melhores, temos que ganhar dos melhores", comentou ele.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?