Publicidade

11 de Março de 2014 - 23:36

Por ae - Agencia Estado

Compartilhar
 

As regiões sul, centro da Costa do Atlântico e nordeste dos Estados Unidos receberam cerca de 15 centímetros de neve nesta terça-feira, enquanto outras áreas do país tiveram algo ainda mais incomum para março: uma rajada forte e repentina de vento do ártico que derrubou as temperaturas.

Os termômetros no Aeroporto International Thurgood Marshall, nos arredores de Washington, registraram a temperatura mais baixa em 141 anos, atingindo -15,5°C. O Serviço Meteorológico Nacional disse que a temperatura alcançada no início desta terça-feira quebrou o recorde de -15°C atingido em 1873. Também foi uma mínima recorde para o mês de março. A temperatura no Aeroporto Internacional de Dulles, que também fica nos arredores de Washington, empatou com a mínima recorde para o mês alcançada em 1993, de -18°C. As mínimas em ambos os aeroportos foram recordes por dois dias seguidos.

As temperaturas recuaram com o retorno do chamado vórtice polar. "Essa é a palavra de ordem neste inverno, o vórtice polar. Esse ar frio migra em torno dos polos e latitudes do extremo norte o tempo todo", disse Jim Lee, meteorologista responsável pelo Serviço Meteorológico Nacional em Sterling, Virgínia. "A corrente permite que o ar frio se movimente para baixo rumo à Costa Leste."

Escolas e escritórios do governo na Costa Leste ficaram fechados nesta terça-feira ou atrasaram a abertura. A polícia estadual da Virgínia disse as estradas escorregadias contribuíram para três mortes no trânsito. Autoridades do Condado de Prince George, em Maryland, afirmaram que uma mulher de 60 anos morreu depois de remover neve.

A tempestade também impactou o sul do país. Governadores declararam situação de emergência na Virgínia e no Tennessee, onde ocorreram centenas de acidentes e quedas de energia. Quase 3 mil voos foram cancelados na segunda-feira. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?