Publicidade

17 de Dezembro de 2013 - 16:25

Por Thaise Constancio - Agencia Estado

Compartilhar
 

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) condenou o delegado Hélio Khristian Cunha de Almeida, o escrivão Carlos Alberto Araújo Lima e o advogado Mário Jorge da Costa Carvalho por corrupção passiva na Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) do Rio de Janeiro. De acordo com as investigações, Almeida, Lima e Carvalho simularam inquéritos para cobrar propinas de supostos investigados. Eles tinham sido absolvidos em Primeira Instância.

Além de perder o cargo, Almeida cumprirá 2 anos e 6 meses de prisão em regime aberto e terá de pagar multa. Lima foi punido com 1 ano e 4 meses de cadeia e pena pecuniária que foi convertida em prestação de serviços comunitários. Carvalho, que atuava como porta-voz do delegado da PF no contato com as vítimas, foi condenado a 2 anos de clausura.

Contra o delegado, também constaram "a audácia em usar a Superintendência da PF-RJ para intimidar e constranger as pessoas, e desmoralizando o órgão; o grave desvio de finalidade no uso dos poderes de investigação; a posição de protagonismo dentro da PF ao presidir inquéritos, e a prática de falsidade ideológica no ofício expedido ao 9º RGI, com ofensa à imagem e credibilidade do MPF (Ministério Público Federal)".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?