Publicidade

16 de Dezembro de 2013 - 10:37

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

As tropas de combate australianas concluíram sua retirada do Afeganistão, declarou nesta segunda-feira o primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, encerrando a mais longa participação em guerra do país, que perdeu 40 militares no período de 12 anos.

Em outubro, Abbott anunciou que mais de 1.000 militares seriam retirados da província de Uruzgan, no sul, antes do final do ano. O anúncio foi feito durante uma visita surpresa à base de Tarin Kot, que também foi fechada. A retirada foi concluída no domingo e a maior parte dos soldados deve estar em casa para o Natal.

"Esta guerra está acabando, não com vitória nem com derrota, mas com expectativa de que o Afeganistão é um lugar melhor e Uruzgan, em particular, um lugar melhor para nossa presença", declarou Abbott.

Camberra enviou tropas para o Afeganistão após os ataques de 11 de Setembro de 2001 contra os Estados Unidos, mas militares australianos estão em Uruzgan desde o final de 2005.

"Sabemos que pagamos um alto preço - 40 mortos de 261 feridos com gravidade - mas o sacrifício não foi em vão", afirmou o premiê, referindo-se à missão, que durou 12 anos. "Uruzgan é hoje significativamente diferente e um lugar melhor do que era uma década atrás."

Cerca de 400 australianos vão permanecer no Afeganistão para treinar militares afegãos, principalmente em Cabul e Kandahar, mas a maior parte dos 1.550 australianos que serviram na região já saiu do país.

Mais de 25 mil australianos serviram no Afeganistão desde 2001, quando a Austrália se uniu aos Estados Unidos para lutar contra o Taleban e a Al-Qaeda. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?