Publicidade

18 de Janeiro de 2014 - 07:58

Por Dow Jones Newswires - Agencia Estado

Compartilhar
 

Dois anos atrás, com a economia da Turquia crescendo a taxas de dois dígitos, o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan exaltava a lira como uma das moedas mais estáveis do mundo e seu governo revelou um novo símbolo para a divisa: uma espécie de âncora em forma de T, desenvolvida para dar a ideia de estabilidade e "porto seguro".

Agora, a lira é uma das moedas que mais perde terreno ante o dólar no mundo, com uma queda de 21% em 2013, segundo relata o Wall Street Journal. Esta semana, a divisa turca renovou mínimas recordes, com o dólar atingindo ontem (17) o nível inédito de 2,2231 liras. Economistas e analistas estão revendo suas estimativas e acreditam que a lira deve cair ainda mais este ano.

Os próprios cidadãos turcos também estão assustados com a queda da moeda e retomam antigos hábitos, como vender a lira para comprar dólar e adquirir ouro para se proteger contra novas desvalorizações cambiais. Segundo dados do banco central, a quantia de moeda estrangeira detida pelas famílias subiu 10% em 2013, para US$ 69 bilhões. No caso das empresas, a elevação foi de 20%, para US$ 50 bilhões.

"Nós já vimos crises no passado e agora começamos a ver aspectos de uma mentalidade de crise de novo. Os números são preocupantes", diz Gokhan Karakan, que negocia moedas no mercado Grand Bazaar, em Istambul, há mais de uma década. "Os consumidores não estão mais vendo as quedas da lira como uma oportunidade de compra", acrescentam os analistas do Barclays em relatório.

Um escândalo de corrupção que abala o governo desde dezembro tem colaborado para amplificar os receios dos investidores sobre a desaceleração no crescimento e os crescentes desequilíbrios financeiros da Turquia, como o enorme déficit em conta corrente, que supera 7% do PIB. Além disso, com a depreciação da lira, a inflação, que já está acima da meta, deve receber um novo impulso.

Ontem (17), o vice-premiê, Ali Babacan, comentou que a projeção de inflação para este ano, de 5,3%, pode ficar defasada se a lira continuar caindo. "Se o câmbio continuar nessa trajetória, a inflação não será de 5,3%, pode ser maior", afirmou. O ministro de Finanças, Mehmet Simsek, tem repetidamente lembrado os feitos do governo, com uma taxa anual de crescimento perto de 5% na última década. Entretanto, o banco central tem sido pressionado pela administração Erdogan a não elevar os juros, para não prejudicar a atividade econômica. As informações são do jornal

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?