Publicidade

04 de Dezembro de 2013 - 11:46

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Reguladores da União Europeia anunciaram nesta quarta-feira que estão aplicando uma multa recorde de 1,71 bilhão de euros a oito instituições financeiras, incluindo JPMorgan Chase, Société Générale e Deutsche Bank, por terem conspirado para manipular taxas de referência de juros.

Royal Bank of Scotland (RBS), Citigroup e a corretora RP Martin também foram multados pela Comissão Europeia, braço executivo da UE, no último capítulo de um escândalo que abalou o setor financeiro.

Segundo a comissão, cartéis foram criados para manipular a Euribor, taxa de referência da zona do euro, e a taxa Libor em ienes. Em alguns casos, as instituições punidas manipularam as duas taxas, que são usadas para precificar trilhões de dólares em ativos ao redor do mundo, de derivativos a hipotecas.

A multa mais alta no caso da Euribor foi imposta ao banco alemão Deutsche Bank, no valor de 466 milhões de euros, enquanto o francês Société Générale foi punido em 446 milhões de euros. No caso da taxa Libor em ienes, o RBS foi multado em 260 milhões de euros, o Deutsche Bank em 259 milhões de euros, e o JPMorgan em 79,9 milhões de euros.

O britânico Barclays escapou de ser multado pela manipulação da Euribor e o suíço UBS não será penalizado no caso da Libor em ienes porque delataram as práticas ilegais e cooperaram com as investigações, embora ambos estivessem envolvidos nos cartéis. Pelas regras da UE, delatores podem ganhar imunidade em casos de cartel ou ter as multas reduzidas.

JPMorgan, HSBC e Crédit Agricole não aceitaram fechar um acordo com a UE para o caso da Euribor e agora enfrentarão procedimentos formais que podem resultar em multas mais altas mais adiante. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?