Publicidade

31 de Dezembro de 2013 - 09:59

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, disse que os líderes regionais irão se unir para "derrotar" o ex-vice-presidente do Sudão do Sul se ele não aceitar a proposta do governo, em um alerta para que o líder rebelde aceite o cessar fogo oferecido pelo presidente do Sudão do Sul.

O vice-presidente do Sudão do Sul, Riek Machar, é acusado de participar de um golpe fracassado no mais novo país do mundo. Museveni disse que Machar tem quatro dias para responder à proposta de cessar fogo.

O presidente de Uganda disse que após esse prazo o bloco conhecido como Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD, na sigla em inglês) irá retaliar contra Machar.

Um encontro de líderes do leste africano na semana passada congratulou o compromisso do governo do Sudão do Sul em cessar fogo contra os rebeldes e insistiu que os dois lados deem início a negociações de paz. A violência desde meados de dezembro levou até 180 mil pessoas a deixarem suas casas desde então, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) na segunda-feira.

Uganda exerce uma forte influência sobre o país, disponibilizando forças especiais à pedido do presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir. Isso levantou questionamentos sobre a imparcialidade de Uganda como um possível mediador do conflito. No entanto, o embaixador da França para a ONU, Gerard Araud, lembrou que o país tem respaldo nas leis internacionais para procurar ajuda de países vizinhos para se defender. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?