Publicidade

30 de Dezembro de 2013 - 08:22

Por Bárbara Ferreira Santos - Agencia Estado

Compartilhar
 

Bárbara Ferreira Santos

Nas praias, a lotação era tanta que mal havia espaço para andar na areia. Em Pitangueiras, no Guarujá, às 9 horas, já se via um "mar" de guarda-sóis. Por volta das 11 horas, não tinha mais espaço na faixa de areia.

Nas cidades litorâneas de Caraguatatuba, São Sebastião, Guarujá e Ilhabela, as filas eram grandes na maioria das padarias para comprar pão e o trânsito local começou a ficar lento a partir das 11 horas.

Para garantir um lugar na areia, muitos turistas chegaram sozinhos de manhã e reservaram espaço com cadeiras para toda a família. Foi o caso do promotor de Justiça Luiz Gustavo Jóia de Melo, de 47 anos, que saiu do apartamento no Guarujá por volta das 10 horas e ficou aguardando na praia o resto da família. "Eles foram dormir tarde e ainda estão no apartamento terminando de arrumar as coisas", afirmou.

Antes do sol abrir ontem, às 10 horas, já era grande o grupo de turistas que aproveitavam o mar e o mormaço. O empresário Laércio Manzatto, de 58 anos, aguardava embaixo do guarda-sol enquanto os filhos e netos brincavam perto do mar.

O grupo de mais de 10 pessoas saiu de Santa Bárbara d?Oeste, no interior paulista, para o apartamento de verão na Praia do Tombo, no Guarujá. "Vamos aproveitar essa temporada de fim de ano e passar o dia na praia, faça chuva ou faça sol."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?