Publicidade

04 de Dezembro de 2013 - 13:49

Por Fernando Faro - Agencia Estado

Compartilhar
 

Pouco menos de um ano após chegar ao São Paulo, Aloísio se transformou em xodó da torcida e é um dos poucos jogadores do elenco que terminam a temporada com saldo positivo. O reconhecimento e os gols - é o artilheiro do time ao lado de Luis Fabiano, com 22 - o fizeram receber uma proposta no meio da temporada, mas ele rejeitou a mudança para ajudar o clube a escapar do rebaixamento no Brasileirão.

O novo status adquirido ao longo da temporada e a recusa a abandonar o Morumbi agora fazem o atacante esperar por um reconhecimento da diretoria. Aloísio tem contrato de empréstimo até o meio do ano que vem e não esconde que gostaria de ver seus direitos comprados pelo São Paulo em definitivo, além de conseguir um aumento.

"No meio do ano eu recebi uma proposta da China que mudaria minha vida, financeiramente falando. Vocês (jornalistas) nem ficaram sabendo. Meu empresário (Eduardo Uram) disse para eu pensar, mas nem quis saber e pedi para ele avisar que eu não aceitaria. O time não estava bem, não era o momento. Se fiquei na primeira, espero que as pessoas reconheçam meu trabalho e dedicação", afirmou.

O que tem incomodado Aloísio é a demora da diretoria se posicionar sobre suas intenções. O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, elogia o atacante e está encantado com a forma como ele se entrega em campo, mas ainda não investiu de maneira mais incisiva para tê-lo em definitivo. Aloísio pertence ao Tombense, clube utilizado por Eduardo Uram para registrar seus agenciados.

Apesar de ter até falado em ter o futuro em outro clube, Aloísio não esconde que sua prioridade é continuar no São Paulo. Ele reiterou diversas vezes que espera ter o contrato renovado e admitiu ter realizado um sonho atuar ao lado do atacante Luis Fabiano e do goleiro Rogério Ceni.

"Sei que se meu contrato acabasse hoje, eles me chamariam para renovar. Eles sabem valorizar as pessoas que se dedicam. Prefiro jogar no São Paulo a ir para um clube de menor expressão fora do País", avisou o atacante que recebeu o apelido de "Boi Bandido".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?